Estamos de volta: o que isto significa?

Primeiramente, bom dia boa tarde boa noite. Foi um longo inverno este que se passou. Todas as folhas caíram, as folhas que nasceram no lugar também caíram, foram-se as flores e uma boa parte das frutas apodreceram em volta de um balde preto no quintal. Felizmente, era uma balde rachado e não acumulou água parada.

Nada disso, de fato, é importante. Estou aqui para comunicar a volta deste belíssimo site que costumo chamar, orgulhosamente, de meu. O recesso foi maior do que eu gostaria; mas, para ser honesto, a cabeça anda tão desligada do que acontece ao redor que a percepção de tempo não segue uma coerência interna, de modo que não posso dizer, honestamente, ter sentido esse tempo passar.

Então vamos aos fatos.

Estamos de volta, bons amigues. Pretendemos fornecer, novamente, bastante verborragia, dicas de coisas sobre as quais possuímos pouco ou nenhum interesse, material para estudo, referências aleatórias e um pitaco de insanidade. Porque, afinal, viver dentro dessa bolha sem cor nunca fez o menor sentido em sociedade alguma. Algumas pessoas conseguem crescer dentro do estrago.

Estou fazendo, lentamente, a migração do conteúdo velho pra casa ~nova~ (a casa teoricamente é a mesma, então imaginemos que, num ataque de melancolia, o morador tenha deixado o vento e o tempo levarem todos seus pertences pra rua e, agora, cabisbaixo, tenta recolher o que se encontra mais perto de seus braços; boa sorte, morador preguiçoso). Vejamos quanto tempo levarei para isto.

Não esperemos demais. Mas continuemos fortes.